5 Formas de publicar seu primeiro livro

Desde que lancei o meu primeiro livro, toda semana recebo uma enxurrada de perguntas, seja por e-mail ou pelo próprio facebook. A maioria esmagadora é em relação à publicação independente. “Me indique uma editora” é a frase que mais ouvi (li) até hoje. A resposta é dificílima, pois cada caso é um caso e o tipo certo de publicação vai depender de diversos fatores. Sendo assim, prefiro explicar algumas alternativas para que você mesmo reflita e chegue às suas próprias conclusões. Beleza? Vale avisar que o tema hoje é publicação independente, seja por conta própria ou por meio de editora. Vamos lá! 🙂

1) Editora de grandes tiragens

Quando eu comecei a escrever, pretendia levar minhas histórias além de meus familiares e amigos. Queria que várias pessoas lessem, que os livros fossem encontrados em livrarias, que as pessoas os conhecessem antes mesmo de me conhecer. Isso requer uma tiragem alta, ou seja, pelo menos uns 500 ou 1.000 exemplares. Para uma grande editora, essa quantidade é ridícula. Mas, no caso de um autor independente, é preciso suar a camisa para conseguir vender tudo.

O lado bom é que, aumentando a tiragem, cai o preço que o autor paga por cada exemplar, então é possível ter algum lucro com a venda. Algumas editoras têm feito um trabalho bacana com esse tipo de publicação, inclusive divulgando o autor e distribuindo em livrarias (o que é mais difícil do que parece). Mas, para vender o livro, é você mesmo quem vai ter que correr atrás.

Trabalhar com literatura é igual a trabalhar em qualquer outra área. Para se tornar um profissional de verdade, primeiro é necessário investir na sua carreira. Investir dinheiro, tempo e esforço. Se você quiser fazer uma tiragem alta, prepare o bolso. O investimento em dinheiro começa aí. Quanto ao tempo e esforço, isso é assunto para outro post.

☆ Algumas editoras que fazem publicação com grandes tiragens: Novo Século (selo de novos talentos), Modo (selo de novos talentos), Scortecci, Oxigênio, Arwen, Livre Expressão, Charme, Qualis (selo de novos talentos).

Dinheiro... mulheres... iate...

“Dinheiro… mulheres… iate…”
(Autor iludido, achando que o sucesso vem de graça)

2) Editora de pequenas tiragens

Conheço vários autores que escreveram apenas por satisfação pessoal, não pretendem ser profissionais da área. Querem apenas segurar seu “filho” nas mãos e poder mostrar aos amigos. Não há nada de errado nisso. Acontece muito no caso de poetas, que querem apenas se expressar, e de adolescentes que, por mais que desejem seguir a carreira literária no futuro, ainda não possuem meios ou disposição para se dedicar à divulgação e à venda (dá trabalho, meus amigos, acreditem…).

Para escrever um livro, é necessário dedicação. Muita gente diz que tem uma ideia genial, mas são poucos os que sentam a bunda na cadeira e colocam o cérebro para trabalhar de verdade. Se você conseguiu, é preciso comemorar! Venceu uma prova difícil, daquelas em que a caminhada é mais importante do que o destino. Na minha opinião, todo livro merece ser publicado, de uma ou outra maneira. Se não é para ser em larga escala, que seja em pequena.

Livros publicados em pequena tiragem não costumam dar lucro, mas não é por isso que você não vá publicar. Pense nisso como entretenimento. Se você fosse ao cinema ou praticasse paraquedismo, acabaria gastando o dinheiro do mesmo jeito. É o preço de ter um hobby. Pequenas tiragens costumam ir de 20 a 100 exemplares.

☆ Algumas editoras que fazem publicação com pequenas tiragens: Baraúna, Garcia Edizioni, Delicatta, All Print, Multifoco, Lexia, Lura (algumas dessas oferecem também grandes tiragens).

Dancinha da vitória, logo após escrever a palavra "fim".

Dancinha da vitória, logo após escrever a palavra “fim”.

3) Impressão sob demanda

Se a grana está curta e você realmente não tem como investir, não se desespere. Existe uma coisa maravilhosa chamada edição sob demanda. Funciona assim: você envia seu livro para o site da empresa; toda vez que alguém comprar, eles vão imprimir UM exemplar e mandar para a pessoa. Dessa forma você não tem gasto e, ainda assim, a sua mãe vai poder ter o livro na estante dela.

Antigamente, esse tipo de publicação estava associada a baixa qualidade, mas o cenário vem mudando. Novas tecnologias permitem alcançar a mesma qualidade da alta tiragem. Por sua vez, o custo unitário vai lá nas alturas. Seus amigos vão ter que pagar, sei lá, 50 reais em um único exemplar, mais o frete.

O maior problema da impressão sob demanda é que, ao contrário das editoras, esses sites não se responsabilizam pela capa, nem pela diagramação, muito menos pela revisão. Alguns até oferecem esses serviços, mas aí a publicação deixa de ser gratuita. Verdade seja dita, esses elementos são imprescindíveis para qualquer livro. Se você tiver amigos dispostos a ajudar, ótimo (desde que eles saibam o que estão fazendo!). Caso contrário, talvez seja interessante analisar as propostas das editoras e colocar tudo na ponta do lápis. O importante é manter a calma e decidir racionalmente.

☆ Alguns sites que fazem impressão sob demanda: PerSe, Clube de Autores, Bookess, AgBook.

Certa vez eu visitei a gráfica da Ediouro e MEU DEUS DO CÉU! Você não tem ideia do tamanho das máquinas que imprimem livros e revistas. O galpão ocupa a quadra inteira, é impressionante! Dá pra ver nesse vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=BFh2jKWu1GU (Gráficas desse porte costumam fazer apenas grandes tiragens.)

4) E-book

Se você pretende seguir carreira literária, está disposto a se matar de trabalhar, a ficar com calos nos dedos de tanto escrever, a divulgar até não aguentar mais… só que não tem um tostão furado, seus problemas acabaram. Publique um e-book! A cada dia, mais e mais leitores aderem à leitura digital. Isso acontece porque, apesar da resistência, o formato é muito legal! Após vencer o preconceito, é possível se divertir muito dessa maneira. E a chegada da Amazon ao Brasil nos últimos anos possibilitou uma dinâmica excelente entre autor e leitores.

É claro que publicar apenas em e-book não significa fazer trabalho mal-feito. Muitíssimo pelo contrário, já que os leitores não terão a opção de ler a versão física, tanto o conteúdo da obra quanto a apresentação precisam estar impecáveis. Isso passa pela capa, diagramação (que no e-book é bem diferente) e, principalmente, pela revisão. Ninguém merece texto truncado, que não anda nunca, e ainda por cima cheio de erros de português. Atenção redobrada, ok?

Além de ser barato para produzir e não dar trabalho para distribuir, o e-book também muda um pouco a dinâmica de parcerias com blogueiros. Pra quem não sabe, os blogs literários têm papel vital na divulgação de qualquer obra independente. O problema que um autor sob demanda enfrenta é ter que enviar livros caríssimos para serem resenhados nesses blogs. No caso do e-book, não há custo extra para o autor. É claro que nem todos os blogueiros aceitam parcerias sem livro físicos, e tem a questão da pirataria, mas esses também são assuntos para outros posts.

☆ Alguns sites para publicação de e-books: Amazon KDP Select (de longe o melhor), Kobo Writing Life, Saraiva Publique-se, Wattpad (rede social para distribuição gratuita, bem legal), Widbook (idem).

Amazon: a queridinha dos autores independentes.

Amazon e seu sistema KDP Select: a queridinha dos autores independentes.

5) Grandes tiragens totalmente independentes

Se você é um rebelde sem causa, revoltadinho subversivo, então vai lutar contra o sistema e publicar por conta própria. Liberte-se das amarras! Seja livre!!!!! Kkkkkkkk… Brincadeiras à parte, eu não recomendo essa forma de publicação para autores de primeira viagem.

Lançar um livro, mesmo que por meio de uma editora, exige muito do autor. Ele precisa saber de tudo um pouco. Por exemplo, mesmo que não vá efetivamente fazer a diagramação do livro, é importante conhecer o básico de composição, até mesmo para poder exigir um bom trabalho, argumentando com propriedade. Isso já é estressante o suficiente. Agora, se o autor decide puxar para si TODA a responsabilidade, o negócio fica ainda mais difícil.

“Mas, Karen, foi assim que você lançou os seus livros, não foi?” Sim. É importante ressaltar que eu não fiz tudo sozinha, é claro. Meu marido, ilustrador profissional, fez as capas. Minha mãe, leitora voraz que por muitos anos revisou contratos milionários, fez a revisão. Contratei um outro revisor, que já tinha trabalhado em diversos projetos de uma editora de renome. Convidei blogueiros de confiança para serem leitores-beta. Mesmo assim, foram muitas as responsabilidades que recaíram nos meus ombros. Diagramação, documentação, supervisão do trabalho da gráfica, distribuição em livrarias, organização de eventos e palestras, divulgação em mídias tradicionais e mídias digitais. Eu AMEI trabalhar com tudo isso, mas ocupou bastante do meu tempo. Se você é louco o suficiente para seguir o meu exemplo, vá adiante! Mas saiba que, no meu caso, eu sabia muito bem onde estava me metendo.

Quando planejei a publicação do meu primeiro livro, eu já era diagramadora de uma grande editora há anos, já sabia quais documentos seriam necessários e como consegui-los, já tinha conhecimento em relação à produção gráfica, já sabia quais canais usaria para divulgar, já conhecia os profissionais de que precisaria. Isso tudo porque sou publicitária, ilustradora e produtora de conteúdo. Agora, digamos que um médico invente de fazer o mesmo. Ou um professor, ou um adolescente. A pessoa terá que aprender tudo do zero, e tenho minhas dúvidas se é a melhor forma de empregar seu esforço (levando em conta que existem tantas outras tarefas a serem desempenhadas).

Mais do que a minha experiência, digo isso com base no que vejo por aí. Conheço autores que se aventuraram na independência total logo de cara, e ficaram tão decepcionados que nunca mais voltaram a escrever. Ao mesmo tempo, conheço autores que publicaram sozinhos DEPOIS de terem publicado por meio de editora e hoje estão felizes da vida. Fica o conselho: quando for entrar numa piscina, coloque primeiro só o pezinho, para saber se a água está muito gelada.

☆ Gráficas que eu indico: Gráfica Alvorada (Campo Grande/MS), Gráfica Calábria (Porto Alegre/RS), Edigráfica (Rio de Janeiro/RJ). O orçamento não costuma incluir envio para outras cidades.

Mercado literário: tão surpreendente quanto uma piscina.

Mercado literário: tão surpreendente quanto uma piscina.

Para finalizar, quero deixar bem claro que eu nunca publiquei com essas editoras e não coloco minha mão no fogo por nenhuma delas. Antes de fechar contrato, sugiro que pesquise bastante, peça orçamentos em diversos lugares e converse com os autores que já foram publicados por elas. Não se afobe. Cada uma tem pontos fortes e fracos, é tudo uma questão de escolha.

Talvez esse meu post tenha trazido algumas respostas… e muitas perguntas. Se for o caso, escreva aí nos comentários! Vamos nos falar.

Beijos e sucesso!
Karen Soarele

 


 

Atualização (19/02/2017): Pessoal, esse assunto de publicação rendeu bastante. Por isso, decidi convidar alguns autores e gravar um podcast a respeito. Você pode escutar pelo Youtube:

 

Autor(a): Karen Soarele

Escritora de literatura fantástica, com quatro livros publicados. Ilustradora de revistas infantis e jogos para celular, atualmente se aventurando em terras canadenses.

Compartilhe:
  • Bruno Ferreira

    Muito legal o post. Apesar de não querer ser autor tinha essa dúvida e tal… assisti o video da fabrica da Ediouro. É muito legal todo o trabalho, não tinha ideia que o jornal que eu leio vem de lá. Gostei muito do post e vi o quanto é dificil ser lançado e bem sucedido no mercado editorial do Brasil. Mas vale a pena…

    • Essa gráfica é surreal! Eu já tinha visitado algumas gráficas de Campo Grande, bem bonitas por sinal, mas nada se compara àquilo. As máquinas são monstruosas. Vi rolos de papel de dois metros de altura! Impressionante.

  • Legal, Alice! Tomar decisões é difícil, mas é muito gostoso também. Espero que dê tudo certo pra você! 🙂

  • Pingback: CabulosoCast #139 - Review: Terras Pós-Apocalípticas | Leitor Cabuloso()

  • Pingback: CabulosoCast #139 – Review: Terras Pós-Apocalípticas | Podflix()

  • Lorena Saraiva

    Olá karen, tudo bem?
    Estou terminando um livro e gostaria de saber como funciona a publicação de exemplares gratuita por meio de editoras de grande porte. Uma coisa eu sei, é bem dificil. Mas mesmo assim eu gostaria de saber se há a possibilidade de enviar o exemplar pra uma editora X e ela públicar gratuitamente te sedendo apenas parte dos lucros das vendas;.

    • Oi, Lorena!
      As editoras não chamam de “publicação gratuita”, pois envolve dinheiro do mesmo jeito. A diferença é que, em vez do autor ser cliente da editora (e pagar por isso), o autor se torna contratado. É como um funcionário que presta um serviço. Esse tipo de contrato é mesmo difícil de conseguir, pois exige que as editoras invistam bastante dinheiro, e elas só fazem isso quando há uma boa possibilidade de retorno financeiro (quando o autor já é famoso, por exemplo). Mas você pode tentar, com certeza! Temos casos de autores que foram publicados dessa forma logo de cara.

      Nesse caso, você precisa entrar no site de cada editora e ler as regras de envio de originais. Algumas não recebem livros para análise, outras pedem que o autor envie apenas uma sinopse, outras já querem o livro inteiro de uma vez. Você tem que ver certinho como cada uma trabalha e enviar o que é pedido. Geralmente, levam 6 meses para responder. Algumas não respondem. Enquanto espera, sugiro que você comece a escrever outras coisas, para diminuir a ansiedade.

      Beijos!

  • Eliseu Egídio Porto

    Olá, Karen. Sempre tive o sonho de escrever um livro, depois de ter “devorado” uma grande quantidade deles. Pois acabo de realiza-lo! Não sei dizer ainda se pretendo fazer disso um ganha-pão adicional ao meu trabalho atual, mas confesso que deve ser bem gratificante saber que pessoas se propuseram a desembolsar alguns tostões para ler a sua obra. Cheguei até você através do vídeo que postou no Youtube, sobre as diferenças entre Direitos Autorais e ISBN. E gostaria de pedir, humildemente, se você poderia ler meu livro e dar sua opinião profissional, se devo prosseguir com a ideia de ser um escritor, ou apenas continuar escrevendo coisas para entretenimento dos meus amigos e família. O livro é pequeno, tem apenas 168 páginas no formato A5. E obrigado por se dispor a ajudar as pessoas a evitarem cometer erros que poriam fim à possíveis talentos.

    • Oi, Eliseu!

      Parabéns por concluir o seu livro!!! É uma enorme vitória! 😀

      Infelizmente, eu não tenho como ler agora, mas indico a você um grupo no facebook chamado “Escritores ajudando outros escritores”. Tenho certeza de que o pessoal de lá vai te dar a maior força! 😀

      O link é esse aqui: https://www.facebook.com/groups/479555538752179/?fref=ts

      No mais, fico feliz que as minhas dicas estejam sendo úteis. Desejo muita alegria para você nessa sua trajetória como autor.

      Beijos!

      • Eliseu Egídio Porto

        Obrigado pelo incentivo, Karen, e também pela dica do grupo. Ontem recebi resposta da Editora Autografia, que trabalha de uma maneira bem bacana com novos autores. Tudo pra mim é muito novo, então vou continuar seguindo as tuas dicas pra não entrar numa roubada.

        Abraços.

  • R. Mar -SP

    não sei se voce é limitada demais ou se eu que sou inteligente – pois sozinho eu escrevi um livro de negócios com 250 paginas (A5), sem experiencia nenhuma, diagramei no word, fiz a capa com montagens de diversas imagens com direitos livre, vou pedir o registro na biblioteca nacional, vou cuidar da divulgação, pois tenho um grupo no facebook com 1400 membros interessados no assunto, vou fazer parcerias com blogueiras pra falar do meu livro, e vou fazer autopublicação via e-book, etc — a unica coisa que não tenho capacidade de fazer é a parte ortográfica, este eu to pagando pra um profissional fazer – conheço um site que agencia profissionais de todo tipo para a confecção de um livro – inclusive estou pensando em contratar pela tradução para espanhol….. sinceramente, ter ou nao trabalhado no ramo não me faz falta nenhuma, até mesmo porque eu seria um assalariado mediocre que faria a mesma coisa todos os dias por anos e me tornaria mais um alienado……. PS: aprendi tudo em apenas 4 meses, e aproveitei um TCC que havia escrito e já rendeu muito em conteúdo…

    • Parabéns pelo seu sucesso, R. Mar. Talvez você pudesse compartilhar um pouco do que aprendeu no seu próprio site, para dar uma ajuda aos autores que ainda estão procurando por informações.

  • Poetizei a Minha Vida

    Olá, Karen! Estou terminando de organizar o meu primeiro livro, será de poesias e, suas dicas tem sido muito importantes para mim. encontrei esse espaço a algumas semanas atrás e, a alegria que ele me trouxe é imensa, você traz respostas e conselhos para dúvidas que eu tenho certeza, são “problemas” de muitos escritores iniciantes como eu. fica aqui o meu muito obrigado e meus parabéns por esse trabalho lindo que você faz. Ass: Leandro Miranda.

  • Maumau Hard

    Obrigado pelas dicas! Está sendo de extrema importância para conclusão do meu livro de fantasia. Parabéns pela sua disposição a postar estas dicas. Um abraço e sucesso!

  • Alberto Alves Balieiro

    Comecei a escrever meu livro ontem huahua, está agora com 13 pagínas ainda = P, não tinha nem idéia de como se publicar um, esse site ajudou

    • Que bom que ajudou! 🙂
      Se quer um conselho, não tenha pressa em publicar. Vai com calma, escreva a história primeiro, haha.

  • Denise Mattos

    Karen , teu post ajudou muito! Quero saber escrever pra crianças e já tenho o primeiro rascunho , atualmente recebendo ilustração. Ainda sinto-me perdida… gostaria que o livro fosse usado em escolas , que tivesse larga escala, mas sendo o primeiro, não sei se devo começar “grande”.
    O que acha?
    Denise

    • Oi, Denise!

      Para vender para escolas, você precisa ser capaz de emitir nota fiscal, então o ideal seria contar com o apoio de uma editora. Você pode começar com uma tiragem moderada, fazer o seu lançamento e ir até as escolas para tentar vender o livro. Geralmente, elas compram ou 2 para a biblioteca ou 30 para os alunos. Caso alguma escola queira comprar mais do que isso, você pode fazer uma tiragem especialmente para eles.

      Abraços!

  • Gustavo

    Karen, tenho um “mucado” de ideias pipocando na cabeça, atreladas ao mestrado e a posicionamentos muito pessoais meus. Tenho a vontade de escrever e um medo enorme de acabar escrevendo bobagem, por achar que escreverei reflexões, se não inéditas, ainda impopulares. Esse medinho também faz parte, ou devo amadurecer melhor as ideias?

    • Escreva, coloque suas ideias no papel! 😀
      Se ficar ruim, é só não publicar. A experiência da escrita já vale por si só. Ela vai te ajudar a desenvolver algo bom a partir de algo que pode ter ficado não tão bom assim.

  • Paulo Nascimento

    Ola Karen…vou abusar um pouco do seu conhecimento. Estou escrevendo uma historia e já tenho mais de 20 capitulos prontos. Pretendo fazer uma edição de 500 exemplares. Este livro não tem fins lucrativos e é destinado ha um publico especifico. Gostaria de saber se você poderia dar sugestões de um revisor, diagramador, ilustrador para a capa, etc…
    Obrigado.

  • Flavia Borges

    Qual o risco de ter meus textos roubados , tem que patentear antes como é feito isso?

  • Theiron Lopes

    Karen, escrevo poesias e público no meu face , mas são os meus textos de relacionamentos que chamou a atenção das minhas amigas ,ajudando muitas com seus parceiros ou abrindo os olhos para criarem coragem e mudarem suas vidas , não vivendo apenas por viver com quem as fazia morrer um pouco por dia . Muitas comentaram escreva um livro e eu desejei isso no íntimo . Hoje vim pesquisar e encontrei suas dicas então quero lhe agradecer imensamente por confirmar o que já hávido lido hoje, no entanto não tinha colocado confiança agradeço por passa-la a mim.

    • Que bom, Theiron! O mundo precisa de mais textos desse tipo que você escreve! 😀

  • Juliano Rodrigues

    olá Karen, sensacional post, parabéns ajudou muito com tantas questões e eu ri muito pois me vi em toda a situação kk.
    seguinte, eu tenho uma cronica interligada com 3 principais distintos, comecei em 2012 e então terminei no ano seguinte, mas todo ano me bate a síndrome da imperfeição e desisto chegando a recomeçar tudo do zero esperando mais de minha historia. cheguei a imprimir para tirar o isbn, mas mudei tanto que a impressão se tornou descartável.
    tem alguma dica para me dar? o desinteresse das pessoas quando digo que escrevo me desanima ainda mais em relação ao assunto.
    obrigado desde já por sua atenção e dedicação em ajudar aqueles que como você tem esperanças de não desistir.

    • Minha dica é: guarde o que você escreveu beeeem guardadinho. Várias cópias: uma no computador, outra no e-mail, outra no pendrive… E vá escrever outra coisa!!! 😀 O que você precisa é sair um pouco dessa história, pensar em coisas diferentes. Não precisa ter pressa em publicar. O mais importante é escrever bastante. Depois de terminar alguns outros projetos, você vai descobrir exatamente o que falta nesse primeiro.

  • Elcias Monteiro

    Olá, Karen. As dicas são muito úteis. Todo escritor iniciante deveria ler o artigo. Agora, sobre resenhas: elas ajudam bastante os novos autores. Entretanto, o resenhista deve ser honesto e dizer a verdade. Eu cobro pelas minhas resenhas um valor acessível. E encaro o meu ofício de forma profissional. Todo livro tem o seu valor, por isso não considero nenhuma obra literária ruim. Se não gosto, falo sobre os pontos negativos e a classifico como regular. Agradeço pela oportunidade de tecer o meu comentário.
    Obs.: Publico resenhas em meu blog

    Abraços

    • Com certeza! O resenhista precisa mostrar tanto os pontos fortes quanto os fracos dos livros. Se ele só elogiar mesmo sem ter gostado da leitura, como os leitores do blog vão poder confiar na resenha? Concordo com você, Elcias.

  • Guilherme Henrique

    Karen seu post meu ajudou muito,obrigado mesmo,já estou com meu livro de poesias pronto mas estou com dúvida de como publicá-lo.Eu vi que o Clube dos Autores publica livros gratuitamente,você conhece?É recomendável?

    • Conheço, sim!
      O Clube de Autores oferece impressão sob demanda. Isso significa que você é responsável pela capa, diagramação, revisão e tudo mais o que for necessário para o livro, e eles imprimem. É um serviço bom, que serve para autores que não queiram investir muito dinheiro. O único problema é que o valor unitário do livro acaba saindo alto (já que eles precisam imprimir de um em um). Já usei o serviço do PerSe, que faz praticamente a mesma coisa, e gostei.

  • Tobias Carvalho

    boa noite karen, eu gostaria de alguma dica pois quero fazer uma surpresa para minha esposa,ela escreve poesias e tem o sonho de publicar suas poesias… queria nem que fosse, fazer um exemplar para presentea-la no nosso 5° aniversário de casamento… em Março será que consigo?! se vc ou alguem puder me ajudar com dicas, por favor meu email… tobias.m.carvalho@gmail.com… Obrigado

    • Oi, Tobias!
      Se for para fazer um único exemplar, você consegue até março, sim.
      No seu caso, eu indico usar um serviço de impressão sob demanda, como o PerSe ou Clube de Autores.

  • MarcelaLima1982

    Olá. Só sou mãe em tempo integral e uma vez ouvindo meu marido inventar uma história meio que adaptei ela e escrevi um pequeno livro pra criança mesmo de princesa pra ser exata. mas uma história bem diferente da que estamos acostumados. Gostaria muito de pública lo nem que fosse só pra família entregar alguns de presente em escolas públicas. mas receio de roubarem minha história. como devo proceder?

  • Hugo Moura

    Karen, bom dia, tudo bem? Primeiro, gostaria de parabenizar pelo texto, altamente informativo para os escritores de primeira viagem. Obrigado pelas dicas, mas, como você mesma disse, suas respostas me trouxeram ainda mais perguntas.

    Vamos começar do começo: ano passado eu me formei em jornalismo, entreguei meu TCC e acabei com um livro nas mãos. Eu sabia que queria algo bem escrito e apresentável para o mercado literário, mas o trabalho surpreendeu todos: eu e meu parceiro de escrita (minha dupla de TCC), professores, coordenadores e por aí vai. Ficou claro que tínhamos a obrigação de publicar. De repente vi um novo horizonte se apresentando como possibilidade de carreira jornalística.

    Você se referiu à documentos necessários e afins, como providencio isso? Que editoras posso procurar, já que a temática e abordagem do livro é de interesse público? Tem a questão dos direitos autorais, etc. Acha que podemos iniciar um bate-papo mais próximo para eu te contar minha história e tirar minhas dúvidas, que não são poucas?

    Agradeço desde já, um beijo.

    • Oi, Hugo!

      É livro-reportagem? Confesso que esse gênero não é o meu forte, mas o ideal é você contatar editoras que publiquem livros semelhantes.

      Os documentos aos quais me refiro são quatro: registro de direitos autorais, ISBN, ficha catalográfica e depósito legal. Mas você só precisa correr atrás disso tudo se não tiver uma editora para fazer isso por você.

      Direitos autorais são divididos entre os co-autores. Mas é preciso deixar tudo combinado ANTES de publicar, principalmente se essa publicação for precisar de um investimento.

      Se quiser falar comigo, pode adicionar no facebook. Eu vou ajudar o melhor que puder! 🙂 Mas faça isso com um perfil que dê para eu saber que é uma pessoa de verdade (com nome, foto, postagens, etc): https://www.facebook.com/karen.soarele

      Abraços!

  • Washington Luis Lanfredi Dias

    ola. gostei muito. tenho livros publicados no clube de autores, desses por demanda, é o melhor, tenho nos outros que vc falou tb, mas em anos vendi só 14 livros.kkk. Tenho no Amazon tb, a vantagem que por visualização recebe. Tenho um livro na multifoco e em 2 anos vendi so 40 livros. Este ano publiquei um livro na viena, livro tecnico, tenho esperança, mas não sei. tenho mais livros para publicar, como vc disse, publico para ter um filho, dinheiro muito dificil, se souber como me ajudar vender me avisa.kkk

    • Oi, Washington!

      Saiba que você não está sozinho. Vender é difícil para todo mundo! rsrsrs… Qual gênero você escreve?

      E qual dessas formas de publicação você gostou mais até agora?

      • Washington Luis Lanfredi Dias

        Olá. Tenho muitos. Kkk. Oque eu queria vender é um infanto-juvenil juvenil. Mas tenho 1 técnico de eletrônica e agora vou lançar um didático infantil

        • Gabriela Melo

          Washington, a multifoco é realmente de graça?

          • Washington Luis Lanfredi Dias

            mais ou menos. kkk. Pelo menos quando eu publiquei era assim. Você envia seu original, se passar eles publicam.
            Assim fazem a diagramação e a capa. Se você quiser um corretor, revisor e etc tem de pagar.
            Mas por outro lado te enviam 30 livros para o lançamento, e você vende ele e depois de trinta dias tem de pagar.
            Saiu de graça, vendi a preço que vende no site, então sobrou um dinheiro e paguei os salgados e a bebida do lançamento .kk . Existe outras editoras hoje, que já me ofereceu publicar outro livro que também funciona parecido, fazem 50 livros e colocam no site deles por 2 meses, e se vender tudo sai de graça tambem, mas se não vender paga o que sobrou.

          • Gabriela Melo

            É complicado. Eu já enviei meu livro e passou, no caso, to naquele processo. Me mandaram um questionário das coisas que eu queria por isso te perguntei, afinal li que lá era gratuito e depois disso comecei a pensar o ao contrário. Mas… ou seja, eles me enviam 30 livros e eu, como se pode dizer, vou me virar para vendê-los, certo? Depois que eu os vender – ou não – terei que de alguma forma pagá-los por isso? Eles ao menos deixam os livros no site durante esse tempo?

          • Washington Luis Lanfredi Dias

            Então, quando eu publiquei foi assim, Você vai ter de se virar, os livros já vem com o boleto para pagar daqui a 30 dias. Vendendo ou não terá de pagar. Esses livros que você pegou não vão vender mais no site, só você mesmo. No site vai vender também, mas esses 30 terá de pagar. Sinceramente não gostei muito disso também, mas eles ainda fizeram bom negocio comparado com outras, mas acho que você vende os 30, chama amigos e parentes e vende para eles. Chato, pois o gostoso é poder dar o livro como presente para alguém, mas nesse caso terá de vender.

          • Gabriela Melo

            Entendi. Desculpa perguntar é porque sabe como é hahaha Mas vê, no caso vai ficar no site de boas né? Quando alguém comprar, eles enviam e eu recebo a porcentagem por isso, certo? E outra, como eles vão saber que eu vendi todos os 30 livros? E outra, terei que vender todos os 30 livros em um dia só? No caso no lançamento? Desculpa mesmo pelas perguntas.

          • Washington Luis Lanfredi Dias

            Agora que vi.desculpa. Os 30 livros vc tem 30 dias para pagar. depois vendido na editora e voce recebera a porcentagem da venda

      • Washington Luis Lanfredi Dias

        Oi. participo de bastante coletâneas de poesias, e tenho pagina no recanto das letras, tenho um livro de poesia no clube de autores também, porem gosto mais de escrever livros religiosos, ficçao e livro infantil.
        Mas meus livros publicados em editoras com isbn mesmo, é um infanto juvenil, um de tecnico eletronia e um didatico para criancas da pre escola.
        E qual eu gostei mais a principio a viena, que foi um livro tecnico, e fizeram todo o trabalho do livro, capa, diagramação, correção, revisao, faz divulgação e etc.. Ja a editora Darda tambem muito boa, faz tudo praticamente por preços otimos, porem só vende em seu site, e vc tem de se virar para vender mais, mas fazem desenhos, capas, tudo incluido. A editora multifoco, bom que vende no seu site, na cultura e na travessa, mas se quiser algo a mais tem de pagar, mas nao divulgam seu livro. Ja os livros que publiquei de graça como no clube de autores, vendem em todos os sites de venda praticamente, amazom, cultura e etc. e vendi mais que na multifoco.

  • Ricardo Gonçalves

    Olá karen,.Meu nome é Ricardo, já estou com o meu livro finalizado, (Mulheres oque aconteceria se!!) quero publicaro más tenho dúvida se público pela saraiva, pelo mídia digital ou mídia física qual tu indica? Eu sempre fui desenhista é roteirista de minhas próprias hqs.. Esse é um desejo antigo que tenho de lançar um livro,, se puderes me ajudar agradeço desde já obrigado pela sua atenção

    • Oi, Ricardo!

      A publicação digital é muito boa para quem não quer investir muito dinheiro. Eu recomendo, principalmente pela plataforma da Amazon. Ela se chama Kindle Direct Publishing e é excelente! O livro físico é legal se você fizer muita questão de ter o livro na estante.

      De todo modo, eu indico o episódio do Papo de Autor em que falamos sobre como publicar um livro. É só em áudio e pode ser útil para você:

      https://www.youtube.com/watch?v=SK-JbFAozuY

      Abração!

  • Masé Quadros

    Olá, Karen, meu nome é Masé Quadros, publiquei o meu primeiro livro, Galinha ao Molho Diazepan (também de Literatura Fantástica), de forma alternativa. Gostaria, entretanto, de que o segundo tivesse o selo de uma editora. Pensei, inclusive, em ter o meu próprio selo. O que você me diz disso? Vale a pena para um autor, principalmente por conta do ISBN e tentando minimizar custos, ter esse registro?

    • Oi, Masé!

      Minimizar custos é um assunto muito complicado, rsrs. Ou você aumenta o custo unitário do livro, ou aumenta o montante total. Publicação é uma balança bem difícil de equilibrar, independente da sua escolha entre usar ou não os serviços de uma editora.

      Antes de tomar a sua decisão, é importante se perguntar qual é o motivo de querer o selo de uma editora. Se você quiser o ISBN para facilitar a venda em livrarias, é bom saber que vai precisar de nota fiscal também. Se por acaso você já for empresário, pode ser uma boa ideia incluir a edição e venda de livros na sua lista de atividades, desde que tenha um planejamento a longo prazo para diluir os custos de alteração no CNPJ. Por outro lado, abrir uma empresa só para publicar seus próprios livros não vale a pena. É melhor recorrer a uma editora que já possua todo o aparato contábil.

      Eu recomendo que você escute o Papo de Autor. Nesse episódio, nós falamos sobre algumas formas diferentes de publicar um livro: https://www.youtube.com/watch?v=SK-JbFAozuY
      Espero que seja útil.

      Abração!

  • Pietra Soares

    Olá, sou a Pietra, gostaria que me respondesse as seguintes perguntas:
    Qual a melhor forma de fazer meu livro porque estou criando ele ainda, então qual é a melhor forma de fazê-lo?
    Precisa-se ter quantas páginas no mínimo para ser um bom livro para venda?
    Como faz para lançar um livro digital? Qual o processo que ele passa? Sou nova na área de escritora.

  • Fany Nowak

    Oi Karen, tudo bem? Eu me chamo Estéfany e acabei de terminar o meu primeiro livro. Eu sou totalmente inexperiente, não sei absolutamente nada sobre edição, manuscrito, nada disso. É um livro bem pequeno, tem 18 poemas. Estou cursando Letras e pretendo seguir carreira como escritora. Estou disposta a trabalhar duro por esse sonho, mas, não posso desembolsar muito no momento. Será que você pode me ajudar?

    • Fany, eu recomendo a publicação de forma digital, na Amazon. Tem sido bom para muitos escritores! 🙂

      Publicação impressa só se você fizer MUITA questão de ter o livro em mãos, mas saiba que sempre tem custos.

      • Fany Nowak

        Obrigada!

  • Precisaria de um contato acerca da possível PUBLICAÇÃO DE LIVRO sob o título:
    “Universidade do Marketing Digital”

  • wil

    oi karen, é possível registrar como livro virtual apenas e a partir daí por esforço próprio tentar que o livro seja distribuído como um screenplay para hollywood? teria que ser registrado nos USA também?

    • Você pode escrever o roteiro e registrar como… roteiro! 😀 Não precisa ser romance para registrar.
      Pode registrar só no EDA-BN. Vale para todos os países signatários da Convenção de Berna (praticamente o mundo todo).

  • Tamires Milena Magalhães

    Queria publicar um livro infantil , para o público com idade de até uns 10 anos, mas a história seria voltada para a primeira infância. Eu gostaria de indicar o ilustrador e vi que essa é a parte quase impossível quando se faz por uma editora. Vc falou tbm de diagramação e eu nem sei pra que serve isso kkk Pode indicar sites que expliquem?

    • Oi, Tamires!
      Você pode indicar o ilustrador, sim. Caso esteja pagando para publicar, a editora vai acatar. Caso não esteja pagando, a editora vai considerar com carinho.
      Diagramação é o trabalho de posicionar textos e imagens para impressão. É tipo formatar no word (escolher fontes, etc), só que feito em um programa ideal para isso.

  • Tamires Milena Magalhães

    Karen, com relação à direitos autorais, como faço o registro? Pesquisei e vi que tem editora que fica com os direitos autorais por anos. E com relação a porcentagem quais as editoras mais justas em porcentagem? Vi uma questão dá 10% para o autor e para o ilustrador. Não quero ficar rica som minha obra, mas achei a porcentagem ridícula.

  • Patrick Laass Wotckoski

    Publique gratuitamente sua obra conosco. Preencha o formulário do link abaixo enviando seus dados de contatos junto com uma sinópse e entraremos em contato.

    LINK DO FORMULÁRIO: https://goo.gl/ofsry9

  • Péricles Peres

    Olá Karen, estou pensando em escrever um E-book, e quando terminar já vender ele pela minha página do facebook.

    A minha dúvida é se isso pode dar algum problema com a justiça, sei lá kkkk sou leigo no assunto, preciso pagar algum imposto? Ou posso simplesmente fazer meu E-book e vender de boa na minha página?

  • Miguel Juvêncio :)

    Olá Karen, meu nome é Miguel Ananias, e tenho o sonho de publicar um livro. Eu na verdade já escrevo, só que em cadernos literários, sim, eu tenho 12 anos. Por mais incrível que pareça todos em minha volta, inclusive professores de literatura e adultos me apoiam. Estou diposto a muito esforlo para publicar a minha ficção! Gostaria de saber o que você acha da minha situação, e se há uma editora que mais incentiva jovens escritores! Obrigado, aguardo sua resposta.

    • Oi, Miguel! Eu tinha a sua idade quando comecei a escrever! 😀
      O conselho que eu dou é: não se preocupe com editora agora. O principal é criar os seus livros e evoluir como escritor.

      No mais, você vai encontrar várias editoras na internet que dizem “incentivar jovens escritores”, “valorizar autores nacionais” ou qualquer coisa do gênero. Sempre que encontrar isso escrito, saiba que a editora vai cobrar pela publicação. Editoras que não cobram (comerciais/tradicionais) usam seus sites para falar com os leitores, e não com os autores.

      Recomendo que escute o podcast sobre como publicar um livro: http://www.papodeautor.com.br/papo-de-autor-002-como-publicar-um-livro/

      Abraços!

      • Miguel Juvêncio :)

        Muito Obrigado pelas orientações e pela atenção!!! Qualquer coisa mantenho contato!

  • legiao

    Bem complicado. Tenho um escrito, mas nem sei por onde começar. Preciso muito de alguns conselhos!

  • Hurbanoide Editora

    Pra quem já tem um livro escrito e está pensando em publicar apenas em formato eletrônico para tablets, celulares e e-readers (Kindle, Kobo), entre em contato:

    https://www.hurbanoide.com

    Obrigado.

  • Luiz Fernando

    Olá! estou escrevendo um livro de ficção cientifica,
    você acha arriscado enviar direto para uma grande editora para analise de originais?

    Ou seria melhor uma editora pequena como a autografia que publica os livros em formato físico e digital sem custos?
    Um grande abraço!

  • Caio Cesar

    Karen, tudo bem?
    Eu recebi uma proposta da editora Viseu para impressão sob demanda, mas com a diferença que possui a opção de contratação dos serviços citados por você (capa, diagramação, revisão etc…). Você já ouviu falar dela? É confiável?