Curtos & Fantásticos: mini-lançamento no Diversão Offline

ATUALIZAÇÃO: Confira também minha entrevista com Rogerio Saladino, parte do Trio Tormenta, no site Movimento RPG.

Fala galera! Aqui é o Vinicius Mendes, host enrolão do Diário de Escrita e um dos organizadores do Curtos & Fantásticos.

No domingo passado aconteceu o Diversão Offline, o maior evento de jogos de tabuleiro da América Latina, e como os públicos de boardgame, RPG e fantasia são muito parecidos, o evento contou também, dentre outras empresas especializadas, com a Jambô Editora, atual lar do universo de Tormenta e também do selo Odisseias, que publicou a versão física do C&F.

Waldir Léo Santos, Álvaro Freitas, João Lucas Gontijo Fraga, Carlos Perini, Vinicius Mendes e Rogerio Saladino no Diversão Offline. Foto: Reprodução/Jambô Editora Instagram Oficial

 

Certo, tudo muito legal, mas o que é o Curtos & Fantásticos?

Curtos & Fantásticos é uma antologia de contos de até 1.000 palavras produzida a partir de um concurso realizado pelo Diário de Escrita, uma live semanal do YouTube onde Karen Soarele, Wesnen Tellurian e eu  compartilhamos nossas metas semanais de escrita e tiramos sarro da cara de quem não as cumpre. Conquistamos um público fiel e fizemos bons amigos com essas lives, pessoas que compartilham suas rotinas, métodos, dificuldades e vitórias na grande aventura que é escrever. Ao mesmo tempo em que boicotamos nossas auto-sabotagens, nos apoiamos e passamos por isso juntos, tornando o processo de escrita menos solitário.

    “— Temos taverneiros para todos os gostos, senhor — disse. — A clientela costuma preferir anões, orcs ou homens rechonchudos para esse trabalho, mas a pergunta realmente importante é se o senhor deseja um taverneiro rude e nojento ou um completamente desinteressante.” (Agência de empregos em tavernas — conto finalista de João Lucas Gontijo Fraga)

 

Com o passar dos episódios, foi crescendo a curiosidade para saber como e o que aquelas pessoas que estavam com a gente ali toda semana escreviam, deixar de nos conhecer apenas como apelidos de Internet em um Vigilantes do Peso literário e nos apresentar como aquilo que realmente somos: escritores, autores e contadores de histórias.

A coisa toda deu um resultado muito mais positivo do que esperávamos: Nossos companheiros escreviam bem e nos fizeram rir, chorar e pensar, uma produção boa demais para ficar restrita a um concurso organizado de forma meio improvisada. A ideia da criação de uma antologia digital para ser distribuída de graça logo recebeu apoio, e não demorou para que o amor de todos os envolvidos pelo projeto, e os contatos de Karen Soarele, rendessem uma edição física pelo novo selo da mítica Jambô Editora.

View this post on Instagram

Aimeucoracao!

A post shared by Vinicius Mendes (@vinifmen) on

E como foi esse lançamento no Diversão Offline?

Seria mais fácil, e igualmente sincero, só dizer que foi incrível. Mas aí eu não estaria cumprindo a meta de escrever um texto sobre o evento, não é?

“Uma forte sensação de culpa e arrependimento tomaram conta de sua mente, culpa por abandonar sua mulher à sorte da pobreza da plebe, da miséria da viuvez e da solidão que a acompanharia pelo resto de sua vida. Culpa por ter condenado seu filho primaveril à orfandade paterna, por tê-lo condenado ao trabalho precoce, transmitindo para ele a sagrada responsabilidade de amparar uma família.” (Réquiem do anônimo — conto de Carlos Perini)

 

Três dos vinte autores conseguiram ir no Diversão Offline em São Paulo além de mim: Carlos Perini,  autor de Réquiem do anônimo, João Lucas Gontijo Fraga, autor de A agência de empregos em tavernas e Waldir Léo Santos, autor de No quarto escuro. Era a primeira vez que os quatro autores participavam de qualquer evento com a missão de divulgar e vender um livro do qual fizeram parte, e a empolgação era palpável, principalmente a de João Lucas cujos olhos brilhavam em um misto de choque e orgulho cada vez que uma cópia era vendida e um autógrafo pedido. Mas Carlos e Waldir não ficaram atrás, o primeiro passando todo o tempo que pode divulgando o lançamento e conversando sobre a antologia, enquanto o segundo levou esposa, bastante orgulhosa, e o filho, certamente a pessoa mais fofa no Centro de Eventos São Luís.

“Vão me chamar de louco por ajudar as pessoas a se livrarem de tudo o que as incomoda. Talvez, de monstro, por realizar o desejo delas… Mas poderia eu não escutar os seus chamados em suas redes sociais, clamando por ajuda?” (No quarto escuro — conto finalista de Waldir Léo Santos)

O grupo de aventureiros inexperientes foi muito bem recebido pela Jambô Editora, incluindo Rogerio Saladino, um dos criadores do cenário de Tormenta, e Álvaro Freitas, um dos atuais autores que produzem para o universo, sendo perdoada até a tentativa de golpe contra a quadrinista Germana Viana, ao tomar o espaço dela na mesa com mais Curtos & Fantásticos quando ela inocentemente saiu para almoçar. Ok, ok, foi só um mal entendido ao rearranjar as obras para tirar algumas fotos, mas essa versão é muito mais legal.

No final das contas, uma grande experiência com os quatro novatos descobrindo um pouco as emoções, o cansaço e as delícias de se estar no lado de lá do balcão. E ao apresentar ao mundo pela primeira vez esse filho com tantos pais e mães diferentes,  algumas lições muitos importantes foram aprendidas: Não tente almoçar rapidinho na Bella Paulista em um domingo a tarde; As pessoas compram sim livros pela capa (beijos de luz Karen Soarele capista talentosa); E com dedicação, amor e esforço, é possível realizar muito, inclusive ter seu primeiro projeto lançado em um evento grande com uma editora respeitada.

Com direito até a ser esnobado por global, mas isso já é história para outro post.

“[…] Toda a riqueza do mundo, todo o acesso aos poderes mágicos que o ritual havia potencializado, aos poderes de magos e bruxos ainda mais poderosos, nada havia conseguido parar a lenta e consistente violência do tempo. Tal qual uma pedra que se desmancha com anos de suaves golpes do mar, ela sentia sua beleza se desmanchando em cada encontro com as horas, minutos, segundos. Cinco anos. Mais cinco anos e a adequação se acabaria. Era a forma como as coisas aconteciam. Século após século, rainha após rainha, esposa após esposa, mulher após mulher.” (Como nascem as bruxas — conto de Vinicius Mendes)

João Lucas, Carlos, Vinicius e Waldir. Foto: Reprodução/Jambô Editora Instagram Oficial

Leia o Curtos & Fantásticos gratuitamente

Compre o Curtos & Fantásticos

 

Autor(a): Vinicius Mendes

Redator publicitário metido a crítico. Em processo de gestação do primeiro livro.

Compartilhe: