Dicas para publicar na Amazon!

Olá, caro leitor, eu sou J. V. Teixeira, o novo colaborador do Papo de Autor.

No mês de fevereiro fez exatamente um ano que eu me auto publiquei pela Amazon e para minha primeira postagem aqui no site resolvi compartilhar minhas experiências durante esse meu primeiro ano como autor publicado, dando dicas para ajudar quem pretende entrar nesse meio ou para quem já está inserido.

É importante reforçar que, até o momento, eu só publiquei contos de forma independente e digitalmente, por consequência talvez o que eu vá relatar aqui não seja apropriado caso o seu desejo seja publicar de outra forma, mas acredito que toda informação é válida, então leia e tire suas próprias conclusões.

Vou separar as dicas em tópicos e quem desejar tirar dúvidas ou acrescentar informações sobre um dos itens comentados basta usar o número correspondente. A troca de experiências gera boas discussões e nos ajuda no crescimento.

1) Publicar digitalmente na Amazon vale a pena?

O principal ponto positivo desse tipo de publicação é o preço para publicar e manter o livro disponível por lá, custa o extenso valor de R$0,00. A Amazon ganhará uma porcentagem sobre cada unidade vendida da sua obra, sendo que é você que estipula o valor do livro. Se for vender entre R$1,99 e R$4,99 você ganha 35% do valor e o restante fica para o site, mas se for vender por um preço maior que esse você ganhará 75% e a Amazon apenas 25%.

Se você souber fazer capas e se garantir na revisão o seu único investimento será o tempo para produzir sua obra, nesse caso você terá sempre lucro, entretanto se não souber fazer capas e uma boa revisão você terá esse investimento inicial, que ainda assim é muito menor do que o dinheiro necessário para uma publicação física de forma independente.

Uma possibilidade de publicar gastando pouco.

2) Quanto custa uma capa?

Pesquisando eu encontrei capas entre 50 reais e 700 reais, depende se o artista vai fazer a arte do zero e se vai usar banco de imagens gratuitos ou pago. Geralmente quanto mais caro é o valor cobrado mais única a capa será, mas isso não quer dizer que as de baixo custos serão ruins, longe disso na verdade.

3) A capa é fundamental para a venda do livro?

Uma boa capa não muda o conteúdo ruim, mas para a pessoa descobrir o conteúdo ela precisa comprar o livro, logo se a pessoa descobriu que o conteúdo é ruim então a capa terá realizado o seu objetivo de venda.

Por esse pensamento uma boa capa vende um livro, mas obviamente a capa não é tudo.

Para quem está começando no mercado eu creio que a capa não importe muito, pelo menos é assim que eu me sinto, a capa deve transmitir uma mensagem, mas o que vai fazer as pessoas realmente investirem na compra do que você escreveu é o modo como você divulgará, pois se você está começando agora você precisa, de algum modo, se tornar uma pessoa conhecida e criar público.

4) Divulgações pagas no Instagram e no Facebook valem a pena?

Nesse meu primeiro ano eu concluí que não, pois em publicações pagas no Facebook do total de pessoas alcançadas em torno de 10% interagiram com a publicação, mas apenas 5% adquiriram meu conto na Amazon, não tive retorno financeiro satisfatório, acabei perdendo dinheiro.

No Instagram o quadro é mais bizarro, do total de pessoas alcançadas, em torno de 30% curtiram a foto, mas isso definitivamente não significa que eles leram o que estava escrito, pois o número de vendas que eu consegui com essa rede social mal chegou a 1% do total de pessoas alcançadas.

5) Como fazer parcerias no Instagram?

Como escritor iniciante eu acho fundamental que as pessoas tenham contato com o que eu escrevo de alguma forma para que eu consiga público e os perfis de Instagram voltados para livros são de muita ajuda.

Quando lancei meu primeiro conto eu devo ter enviado mensagem para 50 pessoas ao todo, das 50 em torno de 10 me responderam e dessas somente 6 responderam positivamente e me ajudaram com a divulgação, todos perfis com no máximo mil e poucos seguidores.

Mantive uma boa relação com eles mesmo depois da divulgação do meu primeiro conto e quando lancei meu segundo entrei em contato novamente e todos aceitaram de bom grado ajudar na divulgação. O mesmo se repetiu no lançamento do terceiro conto.

Durante o espaço de tempo entre as publicações um dos perfis subiu de mil e poucos seguidores para mais de sete mil, ou seja, mais pessoas terão conhecimento das minhas novas obras.

Por isso evite procurar apenas perfis famosos, lembre-se que assim como você está começando como escritor outras pessoas também estão começando em outras áreas.

6) Rotina de escrita é fundamental.

Entre a publicação do meu primeiro conto em fevereiro e o início do Diário de Escrita eu não produzi nenhuma página, rascunhei algumas tramas, mas foquei meu tempo livre em tentativas de divulgação. Com o início do Diário (dia 21 de agosto de 2018) eu voltei ao Google Docs e até o momento da publicação desse artigo eu já terminei de escrever e revisar quatro contos, além de escrever 2 capítulos do meu livros. Isso mantendo um ritmo de ficar em torno de 3 horas semanais envolvido com escrita de alguma forma.

Se tiver interesse confira a live semanal do Diário de Escrita aqui no site e compartilhe sua meta conosco.

Toda quinta-feira você pode acompanhar o Diário de Escrita ao vivo no Youtube.

7) Quanto custa uma revisão?

As revisões com copidesque que eu consegui saíram um pouco menos que 90 reais para cada 40 mil caracteres.

Uma boa revisão teria evitado…

8) Disponibilizar gratuitamente na Amazon sua obra vale a pena?

Ao meu ver sim, pois por mais que você não ganhe dinheiro com isso você pode ganhar leitores, mas certamente isso não é garantido, afinal não temos como ter certeza que quem pegar seu livro gratuitamente realmente lerá, mas existe a possibilidade, sempre.

O que não pode acontecer é se iludir com os números de vendas apresentados durante o período de gratuidade, que geralmente são bem altos, mas isso só ocorre por estar de graça, não pela qualidade da escrita, as pessoas só querem garantir mais uma leitura sem gastar dinheiro.

Autor(a): J. V. Teixeira

J. V. Teixeira é professor, formado em Matemática pela UERJ. Teve seu primeiro contato com a cultura geek quando assistiu Star Trek com o pai durante a infância. Desde então, sua fascinação pelo mundo nerd o levou aos livros, quadrinhos, séries, filmes, RPG e muito mais. Dessa mistura surgiu a vontade de escrever e assim os contos “Uma Noite Em New River”, “Quatro Mulheres Na Lua Cheia” e “Satélite 616” ganharam vida e foram lançados de forma digital na Amazon em 2018. Enquanto espera ser convocado para integrar a tripulação do capitão Kirk ou ser contratado pelo FBI para investigar casos inexplicáveis, o autor continua explorando o tempo e o espaço através de suas histórias.

Compartilhe: